/ / Como fazer um levantamento bibliográfico

Como fazer um levantamento bibliográfico

Fotos por Hermann Traub/Pixabay

Todo Trabalho de Conclusão de Curso, Dissertação de Mestrado, Tese de Doutorado, Projeto de Pesquisa ou Artigo Científico exige, indispensavelmente, uma revisão da literatura do tema de pesquisa. Isto só pode ser realizado se houver, previamente, um levantamento bibliográfico mínimo.

É preciso esclarecer estes dois pontos. A revisão da literatura nada mais é do que um balanço do conjunto de obras sobre o tema que se pretende pesquisar. Levantamento bibliográfico é a pesquisa e exposição das obras existentes sobre determinado tema.

Isto é fácil de verificar, basta pegar qualquer texto ou livro científico e olhar no final a seção que consta como bibliografia, fontes, obras consultadas ou referências.

Algumas pessoas têm dificuldades para realizar um levantamento bibliográfico, não sabem em quais sites ou fontes procurar, nem quais textos selecionar diante da infinidade de informações disponíveis na internet.

Este artigo pretende ajudar estudantes de qualquer área a realizarem um levantamento bibliográfico vasto, de maneira rápida, prática, simples e sem dependência do orientador, podendo ser feito em apenas algumas horas.

1 – Pesquisando por obras

Pegue um livro, artigo, TCC, dissertação de mestrado ou tese de doutorado que tenha a maior proximidade possível com seu tema de pesquisa e analise a bibliografia com o intuito de selecionar as obras que continuam tendo proximidade com seu tema.

Este é um dos métodos mais rápidos e simples de começar um levantamento bibliográfico.

2 – Pesquisando por disciplinas

Esta é uma maneira de começar a aprofundar sua bibliografia. É regra que as universidades precisam publicar, antes mesmo das aulas começarem, a ementa e a bibliografia de cada disciplina. Entretanto, nem todas as universidades realizam isto.

Em geral, as universidades públicas são as que mais levam isto a sério. Acessando os sites das universidades públicas, procure por seu curso e pela disciplina que seja mais próxima de seu tema de pesquisa. Docentes de universidades, sobretudo públicas, necessitam publicar textos e livros constantemente, tornando-se, por isto, referências nos temas que pesquisam.

Quando lecionam disciplinas que têm a ver com os temas que pesquisam, a bibliografia destes cursos costuma abranger as principais publicações nacionais e internacionais sobre o assunto.

3 – Garimpando textos pouco conhecidos

Consultar obras conhecidas ou bibliografias de cursos de professores universitários te dará acesso às principais fontes de determinado assunto, àquelas que não poderão faltar em seu texto.

Entretanto, pode existir algum tesouro perdido que tenha extrema proximidade com sua pesquisa, algum texto ainda não publicado ou que não tenha grande repercussão, fugindo, por isto, ao escopo dos itens citados anteriormente.

Por isto é preciso atentar-se para monografias, dissertações de mestrado, teses de doutorado e artigos científicos.

Para acessar este tipo de material basta ter um domínio preciso das palavras chaves de sua pesquisa, e acessar duas grandes bases de dados: Scielo e BDTD.

A Scielo (Scientific Electronic Library Online) nada mais é que um portal que organiza e publica textos completos de revistas científicas de diversas áreas do conhecimento, de diferentes países, com acesso gratuito.

A BDTD (Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações) disponibiliza, gratuitamente, quase 500 mil documentos de 105 instituições de ensino brasileiras.

4 – Montando a bibliografia

Acessando diferentes fontes, faça um levantamento cumulativo da bibliografia. Ou seja, copie e cole, em ordem alfabética, as obras que encontrar nestas diferentes fontes, por mais que fique extremamente longa e você não chegue a utilizar no projeto que está executando.

Disposto dos textos fundamentais de sua área de pesquisa e daqueles que não são tão conhecidos, a etapa é de deixar somente o que poderá de fato ser utilizado, levando em consideração o tempo de leitura e a importância de cada texto para o desenvolvimento de suas ideias.

Nesta etapa é imprescindível o diálogo honesto e crítico com seu orientador para que você não se perca diante de tantos textos.

Similar Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *